Arquivo para outubro, 2008

O Grande Dragão Branco

Posted in Uncategorized on outubro 31, 2008 by Carlos Corrêa

Kumite! Kumite! Kumite!

Rápido: Lutador disputa torneio secreto de full-contact em Hong Kong.

Buenas: O roteiro deve ter sido feito por um adolescente de 12 anos e o Van Damme está (ele é) mega-canastrão. Mesmo assim, é praticamente um clássico dos anos 80, com trocentas cenas memoráveis. E vamos combinar, Chung Li é um vilão daqueles…

A trilha tem tudo de ruim que os péssimos anos 80 trouxeram.

Uma cena: Uma não, né? Toda a rodada inicial do Kumite.

O diretor: A direção de O Grande Dragão foi tão promissora que Newt Arnold não dirigiu mais nada depois. Ah, ele faz uma ponta nos Goonies.

Ah, alguém me explica por que Bloodsport virou O Grande Dragão Branco, já que ninguém fala nada em dragão durante todo o filme?

Ela: Cá entre nós, Leah Ayres é areia demais para o caminhão do Van Damme, não?

O Grande Dragão Branco ( 1988 )

Leva 7/10

Trailer

Paris, Texas

Posted in Uncategorized on outubro 30, 2008 by Carlos Corrêa

They said they´ve found Travis

Rápido: Sujeito estranho é encontrado no deserto sem memória.

Buenas: Não sei de onde tirei todo esse tempo que era um road movie (ainda que em parte seja de fato), mas na verdade achei muito mais “meigo” do que isso, talvez em função do gurizinho que faz o filho do Travis estranho e da reaproximação entre pai e filho. O ritmo devagar quase parando também me agradou.

A trilha tem váááááárias daquelas guitarras arrastadas que tem em filmes de deserto, manja? Quem assina ela é Ry Cooder.

Uma cena: O reencontro na cabine, of course.

O diretor: Junto com esse Paris, Texas, o filme mais conhecido de Wim Wenders seja Asas do Desejo, mas é bem provável que o trabalho dele mais visto seja o clipe de Faraway, So Close, do U2 – baseado, claro, no Asas do Desejo. Ah sim, o nome é bom porque se presta a trocadilhos…

Ah, Paris, Texas levou para casa a Palma de Ouro em Cannes de 1984. Não foi só, no mesmo festival, também abocanhou o prêmio Fipresci e o do Júri Ecumênico. Não me perguntem que prêmios são esses…

Ela: Como é que algum cara pode não entender o fato de que o Travis-Lelé não queria sair do lado da ma-ra-vi-lho-sa Jane da Nastassja Kinski?

Paris, Texas (1984)

Leva 8/10

Trailer

A Fortuna de Ned

Posted in Uncategorized on outubro 25, 2008 by Carlos Corrêa

Ned Devine. Do you know him?

Rápido: Velhinos de um vilarejo na Irlanda tentam dar um golpe depois que um amigo deles ganha na loteria e bate as botas.

Buenas: Divertidinho e simpático, em grande parte por causa do elenco.

A trilha é cheia de gaitas-de-fole e daquelas percussões britânicas, o que é bom para quem, como eu, gosta. Senão esquece.

Uma cena: O velhinho mentindo que ganhou na loteria para ganhar um doce.

O diretor: Além de A Fortuna de Ned, Kirk Jones só fez até agora Nanny McPhee.

Ah, tava lembrando de Ian Bannen, um dos velhinhos protagonistas de algum lugar? Ele era leproso no Coração Valente, lembra?

Ela: Não, não tem nenhuma nem ao menos mais ou menos no filme. A única com menos de 60 anos parece que tem bigode. W.O.

A Fortuna de Ned ( 1998 )

Leva 7/10

Trailer

Antes do Pôr-do-Sol

Posted in Uncategorized on outubro 24, 2008 by Carlos Corrêa

Baby, you´re gona miss that plane

Rápido: Nove anos depois do Antes do Pôr-do-Sol, Jesse e Celine reencontram-se em Paris.

Buenas: O primeiro é genial e mais romântico. Esse é genial e mais realista. O bom é que o primeiro não deixa de ser realista da mesma forma como esse não deixa de ser romântico. Os melhores romances feitos nas últimas décadas, com um roteiro em que qualquer cena pode ter um daqueles diálogos que valem uma noite inteira de discussões. Fora que ainda é em Paris…

A trilha é menos rebuscada que a do primeiro. Agora, ao invés de música clássica, temos Nina Simone e temas da própria Celine, incluindo aí a meiga A Waltz for a Night.

Uma cena: É o caso raro em que poderia ser o filme todo. Mas vá lá, se é para escolher uma: a Celina cantando a valsa.

O diretor: Como já tinha feito Antes do Amanhecer, Richard Linklater tinha crédito suficiente para errar o quanto quisesse, mesmo com nabas tipo O Homem Duplo e Wakinf Life, mas ele vai e faz outra obra prima aqui. Gênio.

Ah, momento máscara de Carlos Corrêa ao visitar Paris e fazer o roteiro quase inteiro do filme teve o ápice na vila que aparece no final do filme, no Cour De L´Etoile D´Or.

Ela: Celina está mais neurótica, é verdade. Mas Julie Delpy também está mais linda, mais apaixonante e mais tudo.

Antes do Pôr-do-Sol (2004)

Leva 10/10

Trailer

Drácula de Bram Stoker

Posted in Uncategorized on outubro 19, 2008 by Carlos Corrêa

Listen to them: the children of the night. What sweet music they make

Rápido: Príncipe vampiro de 400 anos viaja a Londres em busca do antigo amor.

Buenas: Visualmente perfeito, uma atuação de encher os olhos do Gary Oldman, a adaptação mais perto do livro de Bram Stoker até agora… Filmaço.

A trilha é pontuada por temas que vão do medo à melancolia o tempo todo.

Uma cena: Toda a seqüência em que o Drácula se apresenta para o Jonathan Harker no castelo.

O diretor: Parece que Francis Ford Coppola fez uma trilogia sobre a máfia, não tenho bem certeza…

Ah, sabe a hora que as três noivas do Drácula estão pegando o Keanu Reeves? Presta atenção numa delas, beeem gostosa. Sim, Monica Belucci.

Ela: Pouco importa se ela leva pra casa sem pagar uma roupa ou outra, Winona Ryder tem lugar cativo como nossa musa.

Drácula de Bram Stoker (1992)

Leva 9/10

Trailer

Drácula

Posted in Uncategorized on outubro 18, 2008 by Carlos Corrêa

Listen to them… Children of the night… What music they made

Rápido: Conde vampiro muda-se para Londres e sai atacando pescoços alheios.

Buenas: No cinema é o primeiro (ok, tem o Nosferatu, mas é o primeiro Drácula), então vale mais por isso e pelo Bela Lugosi. O terror passa longe, mas ainda assim vale a pena ser visto.

A trilha tem um tema “de medo” na abertura e… só.

Uma cena: a primeira aparição do Bela Lugosi, com direito a zoom no olhar “maligno”…

O diretor: O cara sabia da coisa. Entre os 65 filmes com a assinatura de Tod Browning, estão obras como O Corvo e A Marca do Vampiro.

Ah, aquela história de que o Bela Lugosi decorava as falas por sílabas porque não sabia falar inglês é balela. Sabia sim.

Ela: Poderia ser a Lucy porque elas são parecidas na verdade, mas se o Drácula escolheu a Mina de Helen Chandler, quem sou eu pra discrodar?

Drácula

Leva 7/10

Trailer

Frankenstein Encontra o Lobisomem

Posted in Uncategorized on outubro 16, 2008 by Carlos Corrêa

He is not insane. He simply wants to die.

Rápido: O Lobisomen quer deixar de ser Lobisomem. Aí uma cigana diz pra ele que o Dr. Frankenstein pode ajudar ele…

Buenas: Como terror, esquece. Mas o filme em si é divertido, ainda mais quando tu percebe que dá pra ver fácil a máscara do Frankenstein e que o Lobisomem é tão animal, mas tão animal, que usa camisa xadrez para dentro das calças e cinto. Quando Lobisomem, claro. E qualquer filme com o Bela Lugosi é legal de ver.

A trilha… trilha? Tem uma música que uns festeiros cantam lá pelas tantas que enlouquece o Lobisomem. Mas nem conta.

Uma cena: A luta do Lobisomem com o Frankenstein, claro.

O diretor: Roy William Neil dirigiu poucos filmes, só 108 em 29 anos. Entre eles, vários Sherlock Holmes

Ah, Bela Lugosi recusou o papel do monstro no Frankenstein original, que acabou indo pro Boris Karloff.

Ela: A escolha não é das mais difíceis, já que era ela ou a cigana. Então deu a baronesa Frankenstei, Ilona Massey.

Frankenstein Encontra o Lobisomem

Leva 6/10

Trailer