Arquivo de outubro, 2010

Shrek para Sempre

Posted in Uncategorized on outubro 24, 2010 by Carlos Corrêa

– Man, you are a cat-tastrophe.
– And you, are ri-donk-ulous.

# Todo mundo fala muito bem do segundo. Para mim, o primeiro Shrek não só é o melhor de toda a série, como é uma das melhores animações dessa safra mais recente, junto com os Toy Story e o Monstros S.A. Talvez também por isso que eu tenha saído tão decepcionado desse quarto Shrek. Enquanto os outros – ok, não vi o terceiro – tinham uma história capaz de entreter tanto as crianças como os adultos, esse último tem uma traminha fuleira e uma lição de moral mais clichê impossível. Booooring.

# Para ser bem sincero, quando o Shrek começou a ter filhos, a série degringolou.

# Na época em que eu trabalhava no II Cad da ZH, posso ser traído pela minha memória, mas acho que quando fiz a matéria sobre o primeiro Shrek foi a primeira vez que uma sugestão de título minha foi aceita. Até onde lembro era “Feio, ogro e herói” ou “Feio, sujo e herói”, algo assim. Para quem estava começando, era uma vitória…

Shrek para Sempre (2010) **

O Suspeito

Posted in Uncategorized on outubro 24, 2010 by Carlos Corrêa

This is my first torture

# Toda vez que aparece um filme com essa temática, eu digo a mesma coisa. Mas paciência. Uma trama centrada no Oriente Médio, com temática política e uma abordagem séria é meio caminho andado para ganhar a minha atenção. Não levava muita fé nesse O Suspeito, mas bastaram alguns minutos pra eu me dar conta que era um belo filme. Daqueles que nunca tu vai lembrar de citar nem vai colocar numa lista de melhores, mas enfim, um belo filme.

# Ok, não é das maiores supresas até porque não é o tipo de trama que tu acha que o roteiro vai te pregar uma peça. Talvez até por isso, quando o final te esfrega na cara que tu não se deu conta o tempo todo que era diferente, o mérito seja maior.

# Reese Witherspoon, Alan Arkin, Meryl Streep, Peter Sarsgaard, Jake Gyllenhaal. Que diferença um bom elenco faz.

# Que agonia a barriga da Reese Witherspoon. Parecia que ela ia parir a qualquer momento.

O Suspeito (2007) ****

Watchmen

Posted in Uncategorized on outubro 24, 2010 by Carlos Corrêa

In my opinion, the existence of life is a highly overrated phenomenon

# Eu nunca li nenhuma história em quadrinhos dos Watchmen. Para ser ainda mais sincero, eu só tinha escutado neles uma ou outra vez na vida. Então assim, não faço a mínima ideia se o filme conseguiu transpor para as telas o espírito das HQs. O que eu sei é que, como filme, para mim funcionou. Gostei.

# Por mais que ache todas as fantasias ridículas, até para os padrões super-heróis – e olha que já vimos coisas como o Superman que usa a cueca por cima da calça -, Watchmen funciona porque é ousado para os atuais padrões. Repito, não li as HQs, então não sei se o mérito é mais de quem as escreveu ou de quem estava por trás do filme (é óbvio que imagino que seja da HQ), mas admiro eles não tirarem a mão no que diz respeito à violência e temas que seriam certamente cortados em outras produções atuais, tipo o herói que violenta a outra lá. E o final também deixa claro que os envolvidos no projeto não são cagões. Comigo isso soma pontos.

# Madrugada dos Mortos. 300. Watchmen. Zack Snyder vai bem até o momento.

# Malin Akerman. Eia.

# Quando fez o pedófilo de Pecados Íntimos já dava para ver que Jackie Earle Haley era um senhor ator. Agora, interpretando o tal Kovacs, a tese apenas se confirma. De primeira.

# Mais um filme em que Billy Crudup não sorri.

Watchmen (2009) ****

O Exterminador do Futuro – A Salvação

Posted in Uncategorized on outubro 24, 2010 by Carlos Corrêa

I´ll be back

# Vamos lá, exercício de imaginação: troque o nome do personagem principal e faça uns robôs um pouco diferentes. Pronto, o Terminator novo já não teria mais nada a ver com os dois primeiros – e até o terceiro. Fizeram aqui mais ou menos o que fizeram com o último Duro de Matar. Não é necessariamente ruim, só não tem nada a ver com os antecessores.

# Se bem que… meio chato esse Terminator novo. É um Transformers com o Christian Bale, o carinha lá do Avatar e o boneco do Schwarzenegger.

# Nem é bom lembrar do contexto.

O Exterminador do Futuro – A Salvação (2009) **

Sexta-Feira 13

Posted in Uncategorized on outubro 24, 2010 by Carlos Corrêa

Did you know a young boy drowned here? He was my son.

# Eu não sei mais nem quantos Sexta-Feira 13 foram feitos. Não lembro de ter visto o 1 nem o 2 – e olha que eu comprei o DVD do 1 e nunca vi. Lembro de ter visto o 6 e aquele de Nova York, que um cara dá uns 15 socos no Jason, não acontece nada, ele diz “ok, agora é sua chance”, o Jason vai lá, dá um só na cara dele, o suficiente pra decapitar o carinha. Roots!

# Esse Sexta-Feira 13 novo é uma porcaria. Mas até aí, né, todos os outros eram também. E na real ele tem vários elementos dos outros também. Ou seja, zero história, jovens num acampamento e seios nus.

# Fica aqui meu protesto, porque em todos os filmes antigos, a gurizada saía correndo e o Jason vinha lá atrás, caminhando rápido, mas não correndo. Aí sempre um tropeçava e logo o serial killer já estava atrás. E porra, nesse filme o Jason corre!!!!

# Tchi-tchi-tchi-tchi ah-ah-ah-ah-ah

Sexta-Feira 13 (2009) ***

Flash Forward

Posted in Uncategorized on outubro 24, 2010 by Carlos Corrêa

D. Gibbons is a bad man

# Depois que acabou Friends, apareceu outro Friends? Depois de Twin Peaks, teve outro Twin Peaks? E outro Sex and the City? Então o pessoal pode parar de rotular todo seriado de “mistério” que aparecer de “o novo Lost”. Não vai ter outro Lost. Fringe é legal, mas não é o novo Lost. Flash Forward teve lá seus momentos, mas nunca foi Lost.

# Como comentei antes, Flash Forward não foi ruim. Só também não foi bom. Ou melhor, foi em alguns momentos, mas pecou pela irregularidade e por demorar a sair do lugar. Nos primeiros episódios, a impressão era de que eles estavam entregando tanta coisa que não ia ser possível manter mistério algum. Aí depois inverteu tudo. A história não saía do lugar. Aí deu uma acelerada – e foi a melhor parte. Mas aí desacelerou de novo. E acabou. Pra nunca mais voltar e não ter explicado lhufas.

# Sério que vocês acharam que era possível uma série ter como protagonista o Joseph- Fiennes-Só-Tenho-Uma-Expressão? Sério?

# Vão rolar uns spoilers, então para aqui se não quiser saber.

# O personagem mais legal era o do japinha, que passou boa parte da temporada sem saber se ia morrer ou não. E talvez esteja aí uma diferença de Flash Forward pra Lost. Fizeram uma onda e aí salvaram ele. Lost não teve medinho e foi matando seus protagonistas sem se importar muito.

# O pai do guri monguinho também era um personagem interessante, mas foi obviamente subestimado. Assim como o vilão-que-não-lembro-mais-o-nome. Que, claro, eles mataram e perderam a chance de dar graça à temporada.

# O triângulo entre o enfermeiro, a japinha e a enfermeira  deu errado por um motivo muito simples. O enfermeiro era chato, a enfermeira era chata e a japinha era chata. A enfermeira, a tal Peyton List, ao menos valia a pena por ser absurdamente linda.

Flash Forward (2009/10) ***